Não é de hoje que filmes de países de menor expressão no cinema estão chamando atenção. Não me refiro somente aos indicados ao Oscar, mas sim, de outros que atraem o interesse da população comum de assisti-los. Mesmo que este interesse tenha aumentado, ainda é injusto como determinadas produções são tratados por distribuidores que não ajudam muito na divulgação. Hoje a coluna Filme Estranho Pra Gente Esquisita vai falar de um destes exemplos, o filme Garota Sombria Caminha Pela Noite.

a-girl-walks-home-alone

Garota Sombria é uma produção “multicultural” americana / iraniana falada em persa, dirigido pela britânica (de família iraniana) Ana Lily Amirpour. O filme se passa na fictícia Bad City, no Irã (na realidade, foi rodado na Califórnia) – cidade fantasma que abriga viciados, travestis, prostitutas, cafetões e outras figuras que trazem o ar melancólico e depressivo para o local. Um dos habitantes da cidade é o jovem solitário Arash, que mora com o pai viciado em drogas e, claramente insatisfeito onde mora, não quer pertencer àquele lugar.

Em meio a estes, surge a personagem-titulo do filme, a também solitária vampira sem nome interpretada pela bela Sheila Vand, que observa os habitantes e age como uma anjo vingador, buscando eliminar (e se alimentar) dos que fazem mal aos outros. Quando a vampira conhece Arash, uma forte ligação surge e começam uma inesperada, estranha e sombria relação entre eles.

a-girl-who-walks-home-alone-at-night

São vários os fatores que tornam o filme tão interessante e diferente: primeiro a fotografia PB, que retrata claramente o clima sombrio que predomina a cidade; segundo a impecável trilha sonora, que vai desde o rock persa, música eletrônica, música erudita até certas menções ao western, a lá Sergio Leone;  os pouquíssimos diálogos também são de grande importância, já que a diretora desperta a atenção do espectador através de expressões e atitudes dos personagens; ressalto também a cômica e interessante maneira em que os protagonistas se conhecem, onde Arash está fantasiado de Drácula e a protagonista andando de skate pelas ruas.

O pouco desenvolvimento dos personagens é mais do que suficiente para conhecê-los e, talvez, é o que torne o filme tão envolvente. A química entre os protagonistas é um dos pontos mais belos dentro de um filme que quer apresentar o lado mais degradante e desprezível do ser humano.

a girl walks home alone at night

Vale pontuar os certos momentos em que a diretora explora a opressão sobre a mulher iraniana, apontando atitudes que mostram uma realidade de submissão feminina no país.

Garota Sombria é um tanto quanto lento, porém prende desde o início, muito graças a competente direção de Amirpour e a todos outros pontos citados acima. Se você gosta das diversas vertentes da sétima arte, é obrigatório assistir a este belo e diferente filme de vampiros que até nos faz esquecer dos que brilhavam a luz do sol. Confira o trailer abaixo e não deixe de acompanhar o Artescétera nas redes sociais  FacebookTwitterInstagram e assine o nosso canal no Youtube clicando aqui.