Aos que acompanham o blog, já perceberam que não sou muito adepto como a musica é tratada atualmente. E os que não acompanham, acabaram de descobrir. Ainda compro CDs originais, gosto quando passam videoclipes na TV, juro que até tento gostar de algumas coisas novas, mas na maioria dos casos sem sucesso, sinto falta da antiga MTV e vibrei com a volta da 89 Radio Rock. Tudo isso deve-se pelo rumo que a musica tomou.

Banner-89-FM-Rock

Hoje a internet, junto com as gravadoras e produtoras, acabaram com o mercado fonográfico. As pessoas baixam discos pela internet gratuitamente, CDs, DVDs e vinis são extremamente caros e inacessíveis a muitos, bandas já acabaram e outras sobrevivem apenas de shows. Antes, quando 500 mil cópias era considerado fiasco de vendas para alguns artistas, hoje 100 mil é quase um milagre.

Mas será que a culpa de tudo isso é da internet?

Acho que muitos vão lembrar deste caso. Ha alguns anos houve uma enorme briga entre o Metallica e o Napster, onde a banda não queria que as músicas fossem baixadas gratuitamente na internet. Na época até eu pensei “Porra Metallica, mas qual o problema? Deixe as pessoas serem felizes e baixarem as músicas. Vocês já são podres de rico” Confesso que hoje meu pensamento mudou um pouco em relação a isso. Digo “um pouco”, porque a internet já ajudou (e muito) vários artistas.

napster

Vou citar um caso recente e nacional, que foi da A Banda Mais Bonita da Cidade, com a musica Oração. Eles simplesmente estouraram com o belo clipe lançado no Youtube, e em 3 semanas já haviam mais de 5 milhões de visualizações. Ainda tem a troca de informações online, divulgação de eventos, entre outras facilidades virtuais num mundo dominado por computadores. Seria hipocrisia dizer que a internet só trouxe malefícios para a música. Mas nem tudo são flores. Conforme os pontos citados acima, a internet também prejudicou. Agora volto a pergunta que fiz, será que a culpa é SÓ da internet?

Já ouvi muita gente dizendo “Eu não vou comprar CD, é muito caro. Baixo da internet de graça mesmo.”. O grande problema é que estas pessoas não estão erradas. Realmente os valores estão muito altos, e hoje nem sempre é acessível comprar um lançamento, ou até mesmo um disco antigo. O preço médio de um lançamento hoje é de 35 reais, e há pouco mais de 15 anos era 20, ou até menos.

IMG_0893

Mas é nesse ponto que está a complexidade do assunto.

Devido aos fatores negativos, muitas bandas são como museus; só vivem do passado. Podem até lançar coisa nova, mas dificilmente as musicas caem no gosto do público como antes. Não sei se pelo fato do artista adequar sua música ao novo cenário, se estão ficando velhos e com mal gosto, se querem conquistar um novo público, não sei. Mas hoje, é raro mais de uma música do mesmo disco fazer sucesso, isso quando ainda tem uma. Vou citar um exemplo: o Offspring lançou recentemente o disco Days Go By. Mesmo sendo um disco ruim, ainda tem uma ou duas músicas que revivem levemente o que eram antes. O ponto é que hoje, pouquíssimas pessoas lembram da banda, acham que o último disco que lançaram foi no início de 2000 e sequer sabiam da existência do novo álbum. Hoje o show do Offspring é praticamente inteiro de músicas antigas. Esse é um dos exemplos de como foi prejudicial o declínio do mercado fonográfico. O público não se interessa por nada novo, mesmo sendo bom. Uma das poucas exceções foi o AC/DC, com o álbum Black Ice, de 2008, onde a música Rock ‘n Roll Train foi um mega sucesso. Mas mesmo assim, poucos conhecem outras faixas do disco.

E esse declínio foi tão grande que a diferença chegou até nos vídeo clipes. Antes, todos ficavam vidrados na TV esperando o lançamento de algum clipe. Hoje, pouquíssimos vídeos tem destaque e quando vão ser lançados, aonde eles passam? Na internet, é claro. E mesmo atingindo um número muito maior de pessoas, a repercussão é pífia em relação ao que era antes. Viva o enriquecimento cultural (ironia).

SbeavisandbuttheadCAPA

Acredito que esta queda livre do cenário musical ocorreu devido a diversos fatores. Um deles e o principal foi a evolução da internet, que já falamos aqui. Outro ponto foi a massificação da música, onde as gravadoras viram o pote de ouro e fizeram com que muitos artistas gravassem musicas mais comerciais. E posteriormente, a consequência disso; a maioria das bandas que surgiram depois dessa massificação, eram mais comerciais (e chatas) ainda. E mais uma consequência, foram os meios de comunicação acatarem a esta moda e adaptarem a programação para o novo público. Outro motivo que muitos podem até não concordar e pensar “nossa, que nada a ver“, é o caos no mundo moderno. Mas por que o caos? Simples, porque hoje as pessoas são desprovidas de tempo. Antes o tempo ocioso era maior para se dedicar em ouvir música, ler curiosidades, até ter uma banda.

mtv-logo

Este post é mais um desabafo do que tentar achar uma solução, o que eu acho praticamente impossível de acontecer. O que me entristece é o rumo que tudo isso ta tomando. A MTV virou um lixo e quando passa alguma coisa boa, é só de madrugada (e olhe lá). Muitas bandas que antes lançavam discos maravilhosos, hoje lançam um meia boca e a cada 10 anos (não posso culpa-los). O público (pseudo cult intelectual chato pra c@#%@$#) dos shows de hoje em dia se preocupam mais com status e fotos para o Instagram do que com a banda que está tocando. E tanto os shows quanto os discos estão muito caros. A maioria das bandas novas que surgem são indies (nada contra, mas nada de novo acontece), e muitas delas são horríveis. A indiferença do público também contribui para esta decadência, pois é irônico a internet ser tão expansiva e ao mesmo tempo muitas bandas repercutirem tão pouco com suas novidades.  E o pior de tudo, a velha safra está diminuindo cada vez mais.

Independente de tudo, continuarei escrevendo e torcendo para que tudo volte a ser pelo menos parecido com o que era antes, continuarei comprando cds originais, continuarei buscando alguma banda nova boa, e continuarei me perguntando, que rumo a musica vai tomar?

Não deixe de acompanhar o Artescétera nas redes sociais Facebook, TwitterInstagram.